Atualizado: 20 de junho de 2024
NOME: Zhelavskaya Olga Pavlovna
Data de nascimento: 19 de fevereiro de 1962
Situação atual do processo penal: Condenado
Artigos do Código Penal da Federação Russa: 282.2 (2)
Limitações atuais: pena suspensa
Frase: punição na forma de 2 anos de prisão, a pena é considerada condicional com um período experimental de 2 anos

Biografia

Em agosto de 2021, um processo criminal foi aberto contra Olga Zhelavskaya, de Chelyabinsk, por sua fé. Em outubro, as forças de segurança queriam revistar sua casa, mas foram impedidas pelo fato de a crente estar no hospital após sofrer covid e um AVC.

Olga nasceu em fevereiro de 1962 na aldeia de Potapovo (região de Chelyabinsk) em uma família grande - ela tem duas irmãs mais velhas, seu irmão morreu.

Quando criança, Olga se envolveu com o atletismo. Depois de se formar na faculdade na cidade de Chebarkul (região de Chelyabinsk), ela trabalhou como oficial de passaporte no departamento de habitação e manutenção. Mais tarde, Olga mudou-se para Chelyabinsk, onde trabalhou como despachante da seção de elevadores.

Enquanto estudava a Bíblia, Olga se convenceu da existência de Deus e, em 2012, tornou-se uma das Testemunhas de Jeová.

O processo criminal teve um impacto negativo na saúde de Olga e em sua vida em geral, já que a crente foi demitida de seu emprego. A filha e as irmãs de Olga não compartilham suas crenças religiosas. Apesar disso, a filha foi convocada para interrogatório pela CPI.

Histórico do caso

Olga Zhelavskaya, de Chelyabinsk, enfrentou perseguição por sua fé em março de 2019, quando seu apartamento foi revistado como parte do processo contra Vladimir Suvorov. Dois anos depois, o investigador Aleksandr Chepenko abriu um processo criminal contra o crente com base no testemunho do agente infiltrado Ruzayeva. Zhelavskaya foi acusado de participar das atividades de uma organização extremista. As ações ilícitas, segundo a investigação, consistiam no fato de a mulher convidar convidados para sua casa, rezar e cantar músicas com os amigos. Enquanto estava sob investigação, no outono de 2021, o crente sofreu COVID-19 e um AVC. Em agosto de 2022, seu caso foi parar na Justiça. Em abril de 2023, o crente recebeu uma pena suspensa de 2 anos. Um recurso em junho de 2023 confirmou a sentença.