Atualizado: 14 de junho de 2024
NOME: Shulyuk Ivan Mikhailovich
Data de nascimento: 8 de setembro de 1976
Situação atual do processo penal: Pessoa condenada
Artigos do Código Penal da Federação Russa: 282.2 (1)
Detidos: 1 Dia no centro de detenção temporária, 26 Dias no centro de detenção provisória
Limitações atuais: pena suspensa
Frase: punição sob a forma de prisão por um período de 7 anos com privação do direito de exercer atividades organizacionais em associações públicas ou religiosas, organizações públicas ou religiosas por um período de 7 anos, com restrição de liberdade por um período de 1 ano 6 meses, uma pena de prisão é considerada suspensa com um período experimental de 4 anos

Biografia

A família de Ivan Shulyuk, natural de uma pequena cidade siberiana, enfrenta a repressão pela fé há várias gerações. Na década de 1940, seu avô foi preso por se recusar a pegar em armas. Nunca mais voltou de lá. A avó de Ivan foi exilada na Sibéria em 1951 apenas pela fé em Deus Jeová. Agora, na Rússia moderna, seu neto tem que provar que é um cristão pacífico, não um extremista.

Ivan Shulyuk nasceu em setembro de 1976 em Nazarovo (região de Krasnoyarsk), onde viveu toda a sua vida. Ele tem dois irmãos mais velhos. Seus pais não estão mais vivos. Desde criança, Vânia era móvel e curiosa: pescava, gostava de equipamentos de rádio, lia revistas de viagens, esquiava, gostava de correr e jogar hóquei.

Depois da escola, Ivan se formou na Escola Técnica de Engenharia de Energia Nazarov. Tendo se formado como mecânico de transportes, construção, máquinas e equipamentos rodoviários, trabalhou por mais de 20 anos como serralheiro de prédios de apartamentos. Por seu trabalho, recebeu cartas de agradecimento e certificados.

Ainda em sua juventude, Ivan se convenceu da autenticidade das profecias bíblicas e, aos 18 anos, tomou conscientemente o caminho cristão. Ele percebeu que a verdadeira alegria na vida lhe traz serviço a Deus.

Em 2002, Ivan casou-se com Julia, uma professora de alemão em uma escola primária que compartilhava suas crenças religiosas. Agora, Julia é dona de casa. Adora tocar piano, aprender línguas estrangeiras, ler literatura científica popular, fazer exercícios físicos e cultivar flores. Ivan, nas horas vagas, gosta de folclore e numismática locais. Ele também gosta de ir ao ar livre, colher cogumelos e peixes. Os cônjuges ficam felizes em viajar e passar tempo com amigos.

Em junho de 2020, o modo de vida habitual da família Shulyuk foi violado: seu apartamento foi invadido por um destacamento armado de policiais. Quando Ivan foi detido e colocado no centro de detenção provisória por um mês, Julia ficou muito preocupada com ele, o que afetou seriamente sua condição física e emocional.

Os parentes dos cônjuges, seus vizinhos e conhecidos, incluindo aqueles que não compartilham de suas opiniões religiosas, ficaram chocados com o que aconteceu. O estresse prejudica a saúde já precária de sua mãe e avó Julia. Pessoas próximas esperam que Ivan seja inocentado de todas as acusações e seu bom nome restaurado.

Histórico do caso

Os avós de Ivan Shulyuk foram reprimidos por sua fé nas décadas de 1940 e 1950. E em 2020, seu neto, um crente pacífico de Nazarov, enfrentou a mesma perseguição. Em junho, Ivan foi parar em um centro de detenção temporária após buscas em massa em sua cidade. A Comissão de Investigação abriu um processo criminal contra ele por suspeita de organizar as atividades de uma organização extremista apenas por causa de sua religião. Shulyuk passou cerca de um mês sob custódia, depois foi libertado por conta própria. Em agosto de 2021, o caso foi parar na Justiça. Os autos continham laudos periciais confirmando que a fé das Testemunhas de Jeová não era proibida e que não havia sinais de extremismo nos materiais examinados. Em maio de 2023, o tribunal da cidade do território de Krasnoyarsk condenou o crente a 7 anos de liberdade condicional. Em setembro, o recurso manteve a decisão.