Atualizado: 16 de abril de 2024
NOME: Kalinnikova Olga Feliksovna
Data de nascimento: 4 de dezembro de 1976
Situação atual do processo penal: Acusado
Artigos do Código Penal da Federação Russa: 282.2 (2)
Limitações atuais: Reconhecimento para não sair

Biografia

Olga Kalinnikova, mãe de dois filhos, foi processada em novembro de 2023 por sua crença em Jeová Deus.

Olga nasceu em dezembro de 1976 na ilha de Iturup, na cidade de Kurilsk (região de Sacalina). Ela tem uma irmã mais velha. O pai trabalhava como motorista e a mãe como paramédica. Os pais já estão aposentados.

Quando criança, Olga adorava ler e desenhar, por algum tempo frequentou uma escola de arte e uma seção de sambo. Gostava de passar tempo na floresta e no mar, andando de bicicleta e ciclomotor. Na juventude, gostava de fazer caminhadas.

Depois dos estudos, Olga se formou no curso de contabilidade, mas não trabalhou em sua especialidade. Aos 18 anos, conseguiu um emprego como faxineira em uma escola de arte infantil. Estudou remotamente no Instituto de Tecnologia de Moscou na Faculdade de Engenharia Civil; estudou em cursos de japonês e inglês, completou um estágio no Japão. Olga também fez um curso de arte e um curso de fotografia.

No verão de 1994, Olga mudou-se para Khabarovsk, onde conheceu as Testemunhas de Jeová. Eles mostraram na Bíblia as respostas para as perguntas que a preocupavam desde a infância: qual é o sentido da vida? Por que as pessoas morrem? Olga recorda: "Simples, lógicas e compreensíveis para a mente e o coração explicações da Bíblia, mais o amor, que não se encontra em nenhum lugar do mundo, mas o povo de Deus me convenceu de que eu havia encontrado a verdade". Em 1995, embarcou no caminho cristão.

Desde 1998, Olga trabalha como técnica em uma estação sísmica. Continua a estudar línguas, adora ler e desenhar, gosta de estar na natureza com os amigos.

Olga é divorciada. Ela tem um filho adulto e uma filha em idade escolar. Em conexão com o caso criminal, a crente se preocupa com a filha e os pais. Parentes estão preocupados com Olga e dizem: "Entendemos que Olga e extremismo são conceitos incompatíveis". Estão indignados com o facto de as autoridades estarem a perseguir crentes pacíficos.

Histórico do caso

Em novembro de 2023, na cidade de Kurilsk e na aldeia de Reidovo, foram realizadas buscas nas casas de duas mulheres crentes, uma das quais tem uma filha menor. Um processo criminal contra eles havia sido aberto um mês antes. Olga Kalinnikova e Larisa Potapova foram acusadas de disseminar os ensinamentos das Testemunhas de Jeová na região de Sacalina, além de envolver moradores locais nas atividades de uma organização proibida. Um compromisso escrito de não sair foi tirado das mulheres.