Atualizado: 20 de junho de 2024
NOME: Dyldina Anastasiya Dmitriyevna
Data de nascimento: 18 de fevereiro de 1999
Situação atual do processo penal: Acusado
Artigos do Código Penal da Federação Russa: 282.2 (2)
Limitações atuais: acordo de reconhecimento

Biografia

Em março de 2023, Anastasiya Dyldina, uma testemunha de Jeová de quarta geração, foi processada por suas crenças religiosas.

Anastasiya nasceu em 1999 em Moscou na família de um militar e um médico. Na época, seu pai estudava na capital. Um ano depois, a família voltou para sua cidade natal, Vladivostok. Em 2018, seus pais se divorciaram.

Quando criança, Anastasiya era versátil: fazia ginástica, gostava de desenhar e jogar xadrez e se formou em uma escola de música. Ao se formar na escola secundária, ela recebeu uma medalha de ouro e, em seguida, entrou na universidade de medicina para estudar bioquímica médica. Quando o processo criminal foi iniciado contra ela, ela estava no 6º ano e se preparava para defender seu diploma e trabalhar como professora de inglês em um centro infantil.

Nas horas vagas, Anastasiya adora cantar e tocar ukulele – pequena guitarra havaiana. Ela também gosta de fotografia e adora viajar com seus amigos.

Anastasiya acreditava em Deus desde a infância e desenvolveu um amor por ele. Sua avó contou-lhe sobre as maravilhosas qualidades de Deus, e também leu histórias bíblicas para ela, dando vida a histórias fascinantes e instrutivas em sua imaginação. Ensinou-a a desenvolver boas qualidades que lhe seriam úteis na vida adulta, especialmente em circunstâncias difíceis. Anastasiya cresceu e sua confiança na existência do Criador foi reforçada pelo que aprendeu sobre como os organismos vivos são complexos. Em 2018, ela se tornou uma das Testemunhas de Jeová. Sua mãe, assim como sua avó, compartilha suas visões sobre a vida.

Anastasiya sempre morou em Vladivostok, mas planejava se mudar após a formatura. A persecução penal atrapalhou esses planos. Parentes, especialmente seu pai, estão preocupados com ela e consideram essa acusação desarrazoada.

Histórico do caso

Após uma série de buscas em Vladivostok em março de 2023, três Testemunhas de Jeová foram detidas e colocadas em um centro de detenção temporária. Dois dias depois, Yegor Pogrebnyak foi libertado em prisão domiciliar, e Yuriy Byche e Sergey Novoselov foram enviados para um centro de detenção preventiva. Um processo criminal foi aberto contra os crentes sob um artigo extremista. Mais tarde naquele mês, Tatiana Kazakova, Marina Roslova, Alina Tkachenko, Anastasia Dyldina e Elena Romanova se tornaram réus no caso. E em dezembro, após novas buscas, Kirill Chekolayev foi preso e colocado em um centro de detenção preventiva. Ele passou cerca de 5 meses na prisão, e Novoselov e Byche passaram quase um ano. Os três foram liberados sob a proibição de certas ações.